Avanços e tendências na Impressão 3D [INFOGRÁFICO]

Os últimos anos mostraram um amadurecimento constante do mercado de impressão 3D FFF(Fabricação por Filamento Fundido), seguido pelo aumento da conscientização como um método de fabricação viável.

O Relatório sobre a Indústria de Impressão 3D e Manufatura Aditiva, publicado pela Wohlers Associates em 2018, prevê que a adoção de manufatura aditiva no local de trabalho continuará a se expandir, com a venda de produtos e serviços de manufatura aditiva chegando a US $ 28 bilhões ao redor de 2023.

Um estudo de 2017 da Sculpteo – focado em profissionais que utilizam manufatura aditiva – descobriu que 59% dos norte-americanos e 69% dos europeus pesquisados ​​são usuários capacitados de impressoras 3D. Além disso, 47% das empresas pesquisadas obtiveram um ROI (Retorno de Investimento) maior em investimentos em impressão 3D em 2017 do que em 2016.

impressão 3d

impressão 3d

impressão 3d

Um setor de mercado em rápido crescimento

A Wohlers Associates define as impressoras desktop 3D como sistemas de manufatura aditiva que são vendidos por menos de US $ 5.000. É esse segmento que experimentou um aumento exponencial nas vendas na última década, de 66 sistemas vendidos em 2007 para impressionantes 528.952 unidades em 2017, à nível mundial. O mesmo relatório informa que  o preço médio de venda de sistemas desktop em 2017 marca US $ 1.154, tornando-se, em média, aproximadamente 81 vezes mais barato do que o preço médio de um sistema de impressão 3D industrial ($ 94.252).

Uma emergência e um aumento constante do segmento “prossumidor (consumidor profissional) do mercado de impressão 3D para desktop é particularmente interessante de se observar. Vendendo em média acima de US $ 3.000 e freqüentemente excedendo US $ 5.000, as máquinas de consumidor profissional destinam-se à empresas que precisam de uma solução de prototipagem interna, rápida e confiável.

impressão 3d

Leia também: Como alinhar sua Empresa ao conceito da Indústria 4.0.

O “falso” começo do FFF

No início de 2012, testemunhou-se o auge do que hoje é chamado de “O hype da impressão 3D” – um momento em que a impressão 3D e seus possíveis aplicativos entraram no fluxo de notícias como “A nova revolução industrial” e “Indústria 4.0”. Enquanto isso impulsionou o interesse público, também teve o efeito colateral indesejável de criar expectativas irreais em relação à tecnologia e seu potencial. O choque de expectativas do que poderia ser versus o que era viável formou muitas decisões de que os sistemas FFF eram ferramentas insuficientes.

Muitos consumidores profissionais que tentaram incorporar os sistemas iniciais em seu fluxo de trabalho de produção experimentaram um efeito de “falsa partida”, que formou uma opinião negativa sobre as capacidades dos sistemas FFF, e os motivou a investir em um sistema de fabricação aditiva de alta qualidade, terceirizando a produção de peças para um provedor externo, ou afastando-se totalmente do FFF em favor dos métodos tradicionais de fabricação.

Os sistemas FFF atualmente disponíveis no mercado avançaram muito desde suas origens DIY (faça-você-mesmo). As principais desvantagens dos sistemas iniciais incluíam resultados de baixa qualidade (partes que freqüentemente apresentavam camadas proeminentes, sub-extrusão ou deformações), falta de consistência de impressão (nenhuma repetibilidade garantida), seleção limitada de material (na época, o filamento principal era PLA ou ABS) e volume de construção limitado.

Outros problemas foram causados ​​por arquivos 3D não otimizados e softwares de fatiamento, além de hardware não confiável. Além disso, para obter o melhor desempenho, as máquinas exigiam manutenção regular e um certo nível de conhecimento técnico para operar corretamente (calibração e limpeza de hardware) e otimizar os resultados finais (calibração do software fatiador). Desde então, os prossumidores resolveram esses problemas: em rápida evolução e agilidade, os sistemas de desktops prossumidor são o resultado do design iterativo, com cada iteração otimizando ainda mais o hardware, software e materiais para criar sistemas fáceis de usar, funcionais e confiáveis pode ser adaptado em qualquer escritório.

Os sistemas para consumidores profissionais têm o potencial de mudar a forma como os sistemas FFF podem ser percebidos como um todo. Com o surgimento de soluções de desktops para prossumidores, existem alguns motivos pelos quais esse pode ser um bom momento para repensar as limitações anteriores dos sistemas desktop e abrir as possibilidades do design iterativo no nível de desktop.

O mercado FFF do prossumidor

84% das empresas pesquisadas para o Relatório de Impressão 3D Global da EY relataram o uso de impressão 3D para desenvolvimento de produtos, com 38% esperando que a manufatura aditiva se tornasse parte de seus processos de produção para criar itens de uso final até 2021.

impressão 3d

Com muitas empresas de impressão 3D reconsiderando a tecnologia FFF no contexto da atualização de soluções para um nível mais prosumidor, os sistemas prossumidores irão preencher ainda mais a lacuna entre a impressão 3D de desktop e sistemas industriais de aditivos de ponta em termos de acabamento superficial comparável e versatilidade de material em fração do custo e do tempo.

Apesar de suas raízes DIY, as soluções atuais da FFF superaram as limitações das máquinas anteriores e agora oferecem confiabilidade e versatilidade sem precedentes. O hardware, o software e os materiais passaram por um desenvolvimento significativo para oferecer uma experiência de usuário livre de problemas.

O que torna o sistema prossumidor um ótimo complemento para uma oficina ou um escritório é o fato de possibilitar as capacidades de alta engenharia em um pacote seguro e fácil de usar que pode trazer uma economia significativa e um ótimo ROI(retorno sobre investimento) em um curto período de tempo.

 

 

tendências impressão 3d

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados