Raft 3D, Skirt e Brim: Entenda O Que São e Quando Usar

Atualizado em: 6 de janeiro de 2021 às 9:34

Raft 3D, Skirt e Brim são três técnicas importantes para quem quer garantir bons resultados em seus projetos de impressão.

As abordagens funcionam para prevenir erros causados pelo deslocamento dos filamentos em relação à camada base do seu objeto.

Continue lendo para ter mais detalhes sobre as técnicas e aprender qual delas se encaixa melhor naquilo que você precisa.

Raft, Skirt e Brim

Um dos problemas mais comuns que podem ocorrer na impressão 3D é o desprendimento da primeira camada.

Aqueles que já têm certa experiência sabem que essa parte do objeto é a mais importante para garantir a qualidade no produto – pequenos erros aqui podem comprometer todo o projeto.

E ainda que a sua base saia perfeita, é preciso garantir condições para a adesão da peça na mesa até a impressão ser concluída.

Nesse momento, há chances do objeto se movimentar, o que vai afetar a qualidade de todas as outras camadas que serão impressas em seguida.
Para evitar que isso aconteça, utilizamos os recursos de Raft, Brim e Skirt.

Cada uma com suas características, as técnicas são indicadas para situações específicas, como veremos na sequência.

1 – O que é Raft 3D?

O Raft na impressão 3D é uma técnica que imprime uma primeira camada horizontal extra em seu objeto, servindo para fixá-lo na superfície.

Essa base será posteriormente descartada, deixando a peça com as dimensões descritas no projeto.

A técnica é usada principalmente em impressões que usam filamento ABS, pois favorece a aderência do material e ajuda a impedir possíveis empenamentos.

Quando usar o Raft 3D?

O Raft 3D pode ser utilizado quando queremos evitar deformações nos objetos construídos com filamento ABS.

Essa técnica garante maior aderência à mesa, o que evita falhas no produto final.

Ainda, é possível aplicar em peças que incluem pequenos apoios em seu projeto. O Raft serve como uma fundação para essas bases, aumentando a área de contato com a mesa.

Como usar o Raft 3D?

Para utilizar o Raft e ter o melhor resultado possível, você precisa antes ajustar algumas configurações.

Na camada inferior, é importante configurar uma espessura mais grossa para garantir forte ligação com a mesa.

Para as Top Layers, o indicado é trabalhar com um número entre 2-3 camadas.

Depois de concluída a impressão, é fundamental esperar a peça esfriar antes de retirar o seu Raft.

Isso pode ser feito com as mãos ou com ajuda de uma pequena espátula.

Quais são as vantagens e desvantagens do Raft 3D?

Entre as principais vantagens do Raft 3D, podemos destacar o fato de que ele evita a deformação de filamentos ABS, ao mesmo tempo em que garante uma superfície mais estável para a impressão.

Em alguns casos, porém, pode ser difícil retirar a camada descartável.
Quando você finalmente conseguir fazer a remoção, pode ser necessário polir para ter um bom acabamento na parte inferior.

3 – O que é Skirt?

O nome Skirt significa “saia” em inglês, uma referência ao formato da base de suporte construída para evitar o deslocamento da peça.

A técnica propõe o desenho de uma primeira camada que vai contornar o objeto impresso, mas sem tocá-lo.

Em sua essência, o Skirt é muito similar ao Brim. Porém, não tem como finalidade auxiliar na fixação e mantém certa distância da peça.

E qual a finalidade do uso do Skirt?

A meta desta peça é fazer a regulagem do fluxo de filamento. Também pode ajudar na hora de limpar resíduos degradados de plástico que podem se alojar no bico.

Quando usar o Skirt?

De maneira geral, o Skirt pode ser adotado na maioria dos projetos de impressão 3D, sem grandes restrições.

Seu uso ajuda, inclusive, a detectar de antemão problemas na extrusora que podem prejudicar a qualidade final do objeto.

Como usar o Skirt?

Se você quer usar Skirt em seus projetos, deve atentar a algumas configurações.

A definição da quantidade exata de camadas é opcional: quanto mais grosso, mais fácil será destacar o Skirt do projeto pronto.

Antes de imprimir, é necessário ajustar ainda a distância do contorno em relação ao objeto e a quantidade de loops que serão feitos em torno da peça.

Quais são as vantagens e desvantagens do Skirt?

Uma das principais vantagens do Skirt é que ele proporciona um teste prévio da sua extrusora antes de iniciar o trabalho.

Essa verificação simples ajuda também a definir a área da impressão e gasta menos material que o Brim e o Raft.

Mas, por outro lado, em alguns equipamentos, este contorno pode acabar atrapalhando a construção da primeira camada do objeto.

Tenha atenção e use uma pinça para retirar eventuais fiapos desgrudados.

2 – O que é Brim?

Já o Brim é uma técnica na qual o objeto é fixado na mesa de impressão por meio da construção de um contorno de anéis feito em contato com a peça e a superfície.

Em inglês, “Brim” pode ser traduzido como “borda”, uma referência ao formato do contorno, que lembra a aba de um chapéu.

Quando usar o Brim?

O Brim costuma ser utilizado em projetos nos quais a rapidez e a economia são prioridades.

Isso porque a técnica garante que o objeto vai ficar fixo, mas usa menos filamento em comparação com o Raft.

O Brim se adapta bem a projetos de impressão com ABS ou PLA e outros materiais.

Como usar o Brim?

Para usar o Brim, é importante configurar sua impressora para deslocamento 0mm para que as abas se fixem às bordas do objeto.

A quantidade mínima de anéis em volta da peça, normalmente é de 5.

Caso você tenha dificuldades na hora de destacar o suporte, pode acrescentar ainda um espaço de até 0,2mm entre a aba e o objeto da impressão.

Quais são as vantagens e desvantagens do Brim?

Mais fácil de remover do que o Raft, o Brim proporciona um acabamento suave para a peça.

A técnica também é econômica em comparação às outras, pois a quantidade de filamento utilizada é menor – menos desperdício e custos mais baixos.

Mas, em alguns casos, o acabamento deixa a desejar: não se esqueça de polir o trabalho para que nenhum pedaço da borda permaneça preso.

Tenha atenção, pois existe também um pequeno risco de quebra do seu objeto na hora de remover as bordas – sobretudo se você estiver imprimindo uma peça muito pequena e delicada.

Conclusão

Em diversos casos, os defeitos em projetos de 3D aparecem por conta de um deslocamento do objeto durante a impressão.

Para remediar esse mal, existem as técnicas de Raft, Brim e Skirt.

Cada uma com suas particularidades, todas são eficazes para fixar objeto na mesa de impressão e garantir um resultado impecável.

Para saber mais sobre meios de garantir a qualidade em seus trabalhos, continue acompanhando nosso blog.

E na hora de comprar uma impressora 3D, você já sabe: conte com a Wishbox!

Inscreva-se na nossa Newsletter

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados